Blogger Tips And Tricks|Latest Tips For BloggersFree BacklinksBlogger Tips And Tricks
English French German Spain Italian

segunda-feira, 13 de Outubro de 2014

Desconto de Tempo



OLÁ PESSOAL
Uiiiiii, as saudades que vocês já tinham do DESCONTO DE TEMPO. Peço imensa desculpa pelos potencialmente irreparáveis danos psicológicos que a ausência prolongada da rubrica possa ter causado mas não foi tudo culpa minha. No entanto estamos de volta e em força. Apesar do pedido de desculpas tenho um dedo para apontar a ti. Sim, a ti. E a ti, a ti, a ti, a ti e a ti… Aliás a todos vocês que gostam do Desconto de Tempo mas que o consomem de forma “egoísta”. Porquê? Porque pensei que a ausência prolongada ia fazer com que tivesse a caixa cheia de perguntas e apesar de ter mais do que o normal (não respondi a todas hoje e vou tratando delas com o tempo) não foi nada do outro mundo. Se querem que o Desconto de Tempo se mantenha, façam o favor de contribuir para ele porque se assim não o for, deixa de haver Desconto de Tempo PÚBLICO. Continuo por aqui mas respondo individualmente e em privado a cada um…
Sim, não estou a insinuar nada. Isto é mesmo uma ameaça!!!
Adiante, hoje temos uma variedade de assuntos a tratar…


O que será agora dos Thunder sem o Kevin Durant? Será que vão tentar fazer uma trade para reforçar a equipa?

Artur Simões
Lisboa

WOW! Calma, Artur. 
Apesar de já ter lido algures que as 8 semanas que estimam ser a paragem do Durant é pouco, não é uma lesão que vá fazer com que o MVP em título falhe a temporada. Falha praí 2-3 meses e depois está aí para as curvas. Aposto até que, correndo tudo bem, ele estará em grande forma a seguir à paragem para o All-Star.
Por isso, qualquer tipo de movimentação de mercado por causa da lesão do Durant parece-me manifestamente um exagero.
Entretanto, os Thunder têm de fazer o seu caminho. Não é fácil perder o Durant e manter o mesmo nível (eu diria que é impossível) mas os Thunder têm uma boa equipa. O Westbrook é um jogador de alto nível que vai jogar com o peso da equipa nos ombros. Isso é bom mas também pode ser mau porque, como todos sabemos o rapaz tem tendência para lançar e lançar e lançar. E sem o Durant ainda deverá fazê-lo mais. Só por uma questão de curiosidade, o Westbrook a jogar sem o Durant (com este no banco) nas últimas duas temporadas lançou 217 vezes em 283 minutos (35 vezes em 41 minutos na última época). É muito lançamento!!!
Mas voltando aos Thunder no seu todo, há Ibaka, há Reggie Jackson e a equipa tem miúdos a despontar que este ano têm de subir o nível para os Thunder continuarem a ser contenders, mesmo com o Durant. Falo de Jeremy Lamb, Andre Roberson, Perry Jones e falo especialmente de Steve Adams. Acho que este miúdo pode vir a ser um Center muito jeitoso e acho que vai começar a mostrar isso mesmo já esta temporada. Com um frontcourt forte e o Westbrook a liderar o circo, acho que os Thunder vão ficar bem (apesar de que, sem o Durant durante um terço da época regular, é possível que a equipa deixe de ser um claro candidato ao 1º lugar no Oeste)…

#Costa


Boas. Li que o negócio da NBA com as televisões vai fazer aumentar o Salary Cap. Isso quer dizer que vai ser mais fácil para equipas como os meus Lakers em conseguir contratar estrelas?

José Matos
Porto

Boas, José!
É o seguinte. O salary cap vai aumentar de forma significativa nos próximos anos. E as equipas vão ter mais margem de manobra. No entanto, quero deixar aqui um alerta em relação a todo este “ah e tal, o salary cap vai aumentar, logo vai haver montes de salário para contratar uma equipa toda de superstars”. O salary cap quando aumentar vai ser para todos. Os Max salaries são calculados com base nos anos de experiência de um jogador e numa percentagem do salary cap. Ou seja, se o salary cap aumenta, o max salary aumenta proporcionalmente. E com o aumento do salary cap vai aumentar o salário mínimo, as exceptions e tudo o resto. Ou seja, embora ache que vai haver mais flexibilidade acho que a capacidade das equipas vai manter-se mais ou menos igual porque TODOS os jogadores vão exigir mais. Se o salary cap aumentar daqui a 3 anos para cerca de 90M (é de 63M este ano), o pessoal vai começar a pedir mais um terço em salários. Se um jogador de “meia tabela” pedia praí um contrato de 3 anos a 7M/ano vai passar a pedir de 10M/ano. Se um max salary de um jogador com mais de 10 anos de experiência (35% do salary cap) é actualmente de 22M, com um salary cap de 90M vai passar a ser de 31,5M. Somando tudo isto, penso que as equipas vão ter alguma margem de manobra mas não penso que vai ser “a p… da loucura” como muita gente imagina…

#Costa


Quem achas que fica em primeiro na Conferência de Este? E na conferência de Oeste?
Achas que este é o ano dos Clippers?

Carlos Barbosa
Maia

Olá Carlos!
Ora bem, tudo isto depende de muita coisa (O Durant falhar um terço da fase regular estraga um bocado as contas dos Thunder). Assumindo saúde a toda a gente (é assim que podemos fazer algum tipo de previsão sã) apostaria nos Spurs a Oeste e os Bulls a Este. Com Clippers e e Cavs a serem os outros fortes candidatos à 1ª posição das respectivas conferências.
Os Clippers têm uma equipa forte, profunda e experiente. Com dois claros All-Star e um treinador de topo. Este ano será de afirmação para eles (o ano passado foi o primeiro ano pela mão de Doc Rivers) e espero que andem lá em cima (com a lesão do Durant, espero que os Clips fiquem num dos dois primeiros lugares da conferência oeste). Se no final da época são os representantes da conferência oeste nas Finals, ainda não consigo antecipar. Tenho que vê-los durante a época. 

#Costa


O Mirotic esteve muito bem no 1º jogo e muito mal no 2º jogo dos Bulls na pre-season. O que é que esperam dele para este ano?

Ruben Faria
Carregado

Olá Ruben. O Mirotic é um rookie. Por isso é normal esses altos e baixos. Embora ele seja um jogador com a experiência de várias épocas de basket senior na Europa, está a chegar agora à NBA. Há sempre um período de transição porque a NBA é um jogo muito mais rápido que qualquer outro basket do planeta. Sinceramente, não espero muita coisa do Mirotic que não seja um ano de aprendizagem com alguma (pouca) utilização. Os Bulls têm uma rotação de bigs de qualidade (Gasol, Noah. Gibson) e isso faz com que vá haver poucos minutos para ele a não ser que haja foul trouble ou lesões. Eu acho que ainda bem que assim é para o Mirotic. Embora seja óbvio que todos querem jogar, assim o Nikola pode fazer a sua adaptação ao jogo sem a pressão de contribuir imediatamente. Pode ser que com o avanço da época e com muito trabalho da parte dele, jogue mais tempo para manter os outros três bigs frescos para os Playoffs.

#Costa


Bom dia. Não quero fazer bem uma pergunta. Peço-te mais uma opinião. Apesar de ainda faltar 2 meses para o início da melhor liga do mundo, quem achas que vai ganhar os prémios no final da fase regular? (Os prémios que falo são obviamente o MVP, Defensive Player, ROY, MIP e Coach of the Year)

João Delgado

Bom dia João.
Os prémios dependem de muita coisa e não exclusivamente do jogador/treinador em questão mas apesar de não ter consultado o Zandinga vou tentar apontar para algum lado:

MVP – Com a lesão do Durant que o vai afastar durante alguns meses da época regular, acho que é mais ou menos seguro dizer que o Lebron James é o principal candidato. Outros? Ora bem, o MVP é escolhido também com base no sucesso da equipa. Não é exclusivamente pelo trabalho individual. Ou seja, se houver jogadores que também tenham grandes épocas e a sua equipa fique melhor classificada que os Cavs do Lebron, estes também serão candidatos (embora reafirme que o favorito é claramente o Lebron). Assim sendo vejo três hipóteses mas não vejo nenhum deles a ganhar: Derrick Rose (não acredito mas se ele fizer uma boa época e levar os Bulls ao melhor registo da época regular…), Blake Griffin e Chris Paul (se qualquer um destes dois fizer uma época monstruosa e os Clippers forem os melhores da época regular).

Defensive Player – Os Bulls vão continuar a ser uma top defensive team, por isso o Joakim Noah é automaticamente candidato e para mim o principal candidato. Depois há outros que, com o melhor da performance defensiva da sua equipa são candidatos naturais (Dwight Howard, Marc Gasol e Tyson Chandler). Um dark horse é o Anthony Davis. Ele é muito vistoso defensivamente e com o Asik ao lado, a equipa vai melhorar defensivamente. Pode ser suficiente para o Davis chegar-se à frente.

ROY – Jabari Parker e Andrew Wiggins são as minhas escolhas. Tendo em conta que para este prémio, pontos e minutos são importantes, eu ponho o Jabari ligeiramente à frente da corrida por ser um jogador mais polido ofensivamente para este nível que o Wiggins.

MIP – Este prémio é sempre uma lotaria porque não sabemos quem vai surgir a “rebentar”. Geralmente é procurar um jogador que terá um aumento significativo de minutos e que consiga melhorar brutalmente as suas stats em virtude disso (sim, isso não é bem melhorar mas a verdade é que isto acontece muito). Dos que já jogam muito e que podem aparecer melhorados na próxima época diria Anthony Davis, Jimmy Butler, Dion Waiters, Ricky Rubio, Reggie Jackson, Steve Adams, Derrick Favors… É uma autêntica lotaria tenntar adivinhar este prémio.

Coach of the Year – Como sempre Top teams = Top coaches. Pop, Rivers, Thibs e Blatt são os favoritos com o último a dar uma boa história para os media.

Não colocaste 6th Man of the Year mas eu vou falar na mesma dele. Há algumas opções engraçadas mas tal como muitos outros, este prémios é visto muito com base na contribuição de pontos do banco. E é por isso que o Jamal Crawford é sempre um dos mais fortes candidatos. Taj Gibson vai voltar a ser um forte adversário (perdeu por uma unha negra o ano passado) e nomes como Isiah Thomas, Ryan Anderson e Greg Monroe podem aparecer nesta luta. Numa segunda linha coloco Reggie Jackson, Shaun Livinston, Spencer Hawes e Vince Carter como jogadores que também podem ser candidatos ao prémio…  

#Costa


Ficamos por aqui esta semana. Espero que tenham gostado deste regresso e KEEP CALM que a época regular está aí à porta. NBA is almost back, baby!!!

Continuem a mandar as vossas opiniões e dúvidas para correio.nbafansportugal@gmail.com com o vosso nome e naturalidade.


quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

Desconto de Tempo


Olá malta. Mais uma semana, mais um dia de atraso no DESCONTO DE TEMPO. Ao contrário da maioria, eu não estou de férias e não tem sido fácil. Mas quando é possível, cá estou eu. Esta semana temos Triangle Offense e Chicago Bulls.
Vamos lá…


Olá #Costa! Sigo o vosso trabalho na NBA FANS - Portugal com bastante regularidade e desde que comecei a entrar mais neste mundo que são vocês que me têm ensinado muito do que há para saber. E com essa vontade também venho com uma questão para este Desconto de Tempo.
Sou fã dos NY Knicks e desde que Phil Jackson, Derek Fisher e companhia vieram para NY, só se fala na "Triangle Offense". Como sou relativamente novo neste mundo da NBA e do Basket achas que será possível explicares em que consiste basicamente e como se vão inserir os jogadores mais "presos" à bola (a.k.a Melo e JR)?
Continuação de um excelente trabalho e obrigado!

João Cunha
Guimarães


Olá João, obrigado pela força!
Ora bem, eu não sou a pessoa mais indicada para falar, de forma aprofundada sobre os aspectos tácticos do jogo porque, apesar de ter tido experiências como treinador no meu passado, nunca foi uma coisa que “investi” muito. Acho que sempre mantive-me no estritamente necessário para entender e fruir do jogo e é esse “mínimo” que possuo que vou tentar transmitir-te.
A “Triangle Offense” é uma estratégia (há quem chame de filosofia dadas as suas características) ofensiva inventada há décadas na California e que foi levada às bocas do mundo por ser o tipo de ataque que o Phil Jackson usou nas suas equipas campeãs (Bulls nos anos 90 e Lakers nos anos 00). Mas não foi o Phil Jackson que a inventou nem foi ele que a levou para Chicago. Isso foi da responsabilidade de Tex Winter, o adjunto de Phil que foi jogador do Sam Berry, o inventor da estratégia.
Basicamente é uma estratégia pré-definida de “read and react”. É diferenciado dos habituais esquemas ofensivos porque não tem “jogadas” (não há cá o PG a driblar à espera que toda a gente esteja no lugar para iniciar uma jogada). É uma “motion offense” porque requer constante movimento de jogadores e da bola e o aproveitamento do que a defesa dá.
O ataque inicia-se de variadíssimas maneiras (a mais conhecida é com o PG a passar a bola a um wing e a ir para o canto criando um triângulo entre ele, o wing e o um jogador interior no low-post) e os jogadores têm determinadas instruções mediante a reacção da defesa. E isto faz com que o ataque evolua de um lado para outro, sempre configurando triângulos entre os jogadores (o que originou o nome, algo que eu acho que é a coisa mais “estranha” disto tudo porque quase sempre qualquer ataque cria “triângulos” entre os seus jogadores) até que a defesa tenha uma brecha para ser aproveitada.
A melhor coisa que podes fazer para aprender sobre esta estratégia é ires ver jogos dos Bulls dos anos 90 e dos Lakers dos anos 00 sob a batuta do Zen Master.
Quanto ao fit do Melo e do JR, é tranquilo. A offense vai dar-lhes open looks e oportunidades de jogar 1x1 com fartura e isso vai deixar-lhes felizes e, se eficazes, bastante produtivos.
Espero que tenha ajudado nem que seja um bocadinho e pode ser que nos comentários apareça alguém mais ”expert” no triângulo para juntar mais sumo e quiçá corrigir algum erro que tenha dito (sim, porque eu não sei tudo)…

#Costa


Boas
O que e que acham que os Bulls podem fazer com a atual equipa (saudável)?

João Sousa
Porto


Olá João
Ora bem, eu acho que saudáveis, o ceiling dos Bulls é o anel. Certo que sou fã da equipa e se calhar estou a ser optimista mas eu não estou a dizer que eles VÃO ser campeões. Estou a dizer que eles PODEM ser campeões. Há inúmeros factores que têm de correr bem para que isso aconteça e o passado não é bom conselheiro em relação a eles.
Como disseste e bem, a chave é a equipa estar saudável. Mas como é óbvio isso é uma presunção normal tendo em conta que é válida para qualquer equipa. Se o Lebron magoar-se a sério, obviamente que os Cavs não ficam com as mesmas possibilidades. Sem Durant como é que os Thunder ganham no Oeste???
Saudáveis, a equipa tem uma superstar que não teve nos últimos dois anos (Rose) e um frontcourt fortíssimo com dois dos melhores big men do jogo (Noah e Pau). O Jimmy Butler precisa de voltar a crescer também. Prometeu muito mas no ano passado teve uma época estagnada. Precisa de melhorar o lançamento de 3P porque sendo um especialista defensivo vai jogar muitos minutos e não pode ser um meco que ajuda a defesa a fazer 2x1 no Rose. Outra coisa que tem de correr bem é resultar a aposta no shooting. É preciso um Dunleavy eficaz e um Snell em ano de afirmação. Snell pode ser um jogador importante porque é defensivamente capaz e lança bem. Se tiver boas médias de longa distância (o miúdo não tem medo de assumir) para a NBA será um reforço importante para a rotação. Last but not least, os rookies têm de contribuir. Esperam-se mais destes rookies do que nos últimos anos em Chicago. McDermott parece ser um jogador pronto para rendimento mas sendo rookie nunca se sabe. Na minha opinião (embora duvide que o Thibs o faça), ele se calhar encaixava melhor na equipa como starter. O Dunleavy foi contratado para ser um jogador da segunda equipa e estar a exigir-lhe números de starter é demais na idade dele. Seria mais eficaz a partir do banco mas para isso era preciso alguém assumir a posição de SF (McBuckets? Snell???). O outro rookie (há ainda o Cameron Bairstow mas esse moço é para abanar toalhas no banco) é Mirotic que acho que terá poucos minutos este ano A NÃO SER que mostre que pode contribuir já. Se o fizer será importantíssimo para os Bulls. Porque vai poder dar mais descanso ao Pau e ao Noah, algo que será fulcral para mantê-los saudáveis ao longo da época e frescos para os playoffs. Com Rose saudável e a ganhar o seu ritmo ao longo da época, com uma equipa que fez um upgrade no spacing e um frontcourt poderoso, esta equipa tem tudo para poder ser campeã. Acho que é visível para qualquer um. Há é mais 29 equipas a lutar pelo mesmo…

#Costa


Hoje fico por aqui porque, para além de haver menos perguntas neste período de férias, tive menos tempo e estas duas obrigaram-me a mais “paleio”. Continuem a mandar as vossas opiniões e dúvidas para correio.nbafansportugal@gmail.com com o vosso nome e naturalidade.


terça-feira, 19 de Agosto de 2014

Desconto de Tempo




Olá malta, por motivos familiares e profissionais, o Desconto de Tempo teve de ser adiado um dia. Sim, eu sei. Há pessoal que passou uma segunda-feira ainda mais deprimida por não ter o DT mas pensem pelo lado positivo: a terça-feira acabou de ficar mais completa. Os novos Cavs, o calendário e Derrick Rose são os temas para hoje…


Boas
Queria saber com é que a NBA faz o calendário para uma época. Parece complicado.

Frederico Fonseca
Lisboa


Olá Frederico
Parece-te complicado porque é complicado. Respondendo à tua pergunta directamente, eu não sei como se faz o calendário mas sei as bases com que o Matt Winick faz este complicado trabalho (que começa em Fevereiro e acaba no início de Agosto). Sim, não foi um erro. É apenas uma pessoa que o faz desde o início dos anos 80. Chama-se Matt Winick e o título dele na NBA é tão pomposo como “Senior Vice President of Scheduling and Game Operations”. Tenho o máximo de respeito pelo senhor porque acho inacreditavelmente difícil o que ele faz.
Tudo começa um mês antes de terminar a época regular anterior quando as equipas mandam pelo menos 50 datas disponíveis para os seus jogos em casa (são 41 jogos em casa por equipa) onde estão incluídas pelo menos 4 segunda-feiras e 4 quintas-feiras. Tudo isto será confrontado com as datas em que não há jogos (véspera de Natal, All-Star Break e afins) e com possíveis incompatibilidades com as datas da NHL (muitas equipas jogam no mesmo pavilhão que as da NBA). E depois o homem tenta fazer as coisas para que faça o máximo de sentido possível para cada uma das equipas. O que naturalmente não é fácil dado que agradar a gregos e a troianos...
O calendário em si, por equipa, (que deve ser o que querias saber e não o que estou para aqui a falar) compreende a seguinte organização. Numa época regular uma equipa joga os seguintes jogos:

- 4 jogos frente aos 4 adversários da mesma divisão.
(4x4=16)
- 4 jogos frente a 6 adversários da mesma conferência (outra divisão).
(4x6=24)
- 3 jogos frente aos restantes 4 adversários da mesma conferência (outra divisão).
(3x4=12)
Nota: É feito um sistema de rotação a cinco anos para definir quem são os adversários da conferência com quem cada equipa joga três ou quatro vezes em cada época.
- 2 jogos frente a adversários da outra conferência.
(2x15=30)

Tudo somado, voilá: 82 jogos…

#Costa


O Rose parece saudável na selecção dos Estados Unidos. Será que as lesões já são uma coisa do passado?

Carlos Rodrigues
Fafe


Olá Carlos
Sim, ao contrário do que foi a lengalenga de pessoal muito pouco informado em termos médicos (eu também não o sou mas fui lendo o que os médicos foram dizendo ao longo dos tempos e não a opinião dos jornalistas e afins sobre o assunto), as lesões que o Rose teve estão ultrapassadas. Quer o ACL do joelho esquerdo, que está saudável há mais de um ano, quer o menisco do joelho direito que, pelo que foi possível observar, aparentemente está recuperado. As lesões foram independentes uma da outra e por isso não é de esperar que originem mais lesões. Isto não quer dizer que ele não se pode lesionar novamente. Como o Paul George mostrou, qualquer jogador pode lesionar-se a qualquer altura e a segunda lesão do Rose também é um desses acasos do destino (para quem acredita nessas coisas). Pode acontecer a todos os jogadores sem excepção. Mas sim, parece-me que toda a gente está optimista num regresso a 100% do Rose embora só fazendo uma época regular inteira é que afastará os “fantasmas” que pairam sobre a sua saúde. Prevejo, de qualquer maneira,que ele descanse um bocado mais do que o costume esta época e que faça praí 65, 70 jogos na época regular. A minha previsão para o nível dele é um bocado enferrujado de início e em crescendo com o avançar da época. No último mês e nos POs penso que será possível ver um Rose a alto nível. Nível como quando ganhou o MVP? Acho que não. Estava muito lá em cima nessa altura. E precisa de continuidade para chegar lá. Mas não espero nada menos do que um All-NBA Player.

#Costa


O Rose devia estar a jogar na TEAM USA? Não devia estar a descansar dado que ele anda sempre lesionado?

Rui Morgado
Coimbra


Olá Rui
1º O Rose não "anda sempre lesionado". Teve duas lesões independentes em dois anos consecutivos. Concordava com a afirmação se estas estivessem ligadas, se uma tivesse levado à outra. Como não foi o caso. O Rose lesionou-se. Não "anda sempre lesionado".
2º Respondendo às perguntas, Sim devia estar a jogar na TEAM USA e não, não devia estar a descansar. O Rose está a fazer exactamente o que deve. Jogar. É o que precisa de fazer para regressar ao mais alto nível. E desengane-se quem pensa que ele está a fazer isto porque só pensa nele e afins. Os Bulls QUEREM e pediram-lhe para jogar no Campeonato do Mundo. Ele só tem a ganhar em jogar basket competitivo antes de começar a época. E o risco de lesão como abordei em cima existe para toda a gente em qualquer altura. Por aí, ele não jogava mais porque corre sempre o risco de se lesionar, cada vez que entra em campo. Ele está a jogar, deve jogar e vai beneficiar com isso. Ele e os Bulls…
Para além de que, na TEAM USA, ele vai ganhar novamente o hábito de ouvir o Thibs aos berros com ele (podia já estar “mal habituado”)…  


O Shawn Marion está a caminho dos Cleveland. Ninguém os pára este ano…

Roberto Garcia
Porto


Olá Roberto
Vamos ver depois da bola saltar. A equipa dos Cavs está muito engraçada e o roster tem uma profundidade assinalável. Não acho que o Shawn Marion seja a última coca-cola do deserto e, embora tenha envelhecido bem, não deixa de ter 36 anos. Não sei se o nível de contribuição dele estará como em anos anteriores.Para além de que ele é um jogador que, na minha opinião, não encaixa bem com o Lebron. Fala-se também em Ray Allen que se viu contribuir para os HEAT nos últimos dois anos mas que já tem 39 anos. A idade pesa. Veterania é boa até determinado ponto…
Voltando à equipa (vou analisá-la com o pressuposto que a troca Love-Wiggins/Bennett vai em frente), um cinco com Kyrie, Waiters, Lebron, Love e Varejão é muito engraçado ofensivamente mas defensivamente terá que provar o que vale. O banco com Dellavedova, Miller, Marion, Tristan Thompson e Haywood (dependendo da sua condição física) é também engraçado e alguns elementos serão mais-valias defensivas a finalizar jogos.
Ofensivamente será uma equipa de topo, não tenho a mais pequena dúvida. Se o “rookie” David Blatt (ser estreante será um factor???) contribuir para elevar o nível defensivo da equipa, então estes Cavs estão aqui para ficar em termos de candidatura anual ao anel. Neste primeiro ano, no entanto, é de esperar algum tempo de “adaptação” a novos colegas e novas maneiras de jogar. Será este como o primeiro ano de Lebron nos HEAT? É possível...

#Costa


Hoje ficamos por aqui pessoal. Para a semana há mais e continuem a mandar as vossas opiniões e dúvidas para correio.nbafansportugal@gmail.com com o vosso nome e naturalidade.